Pages

sábado, 8 de fevereiro de 2014

Quase crónicas a Tália: Só não vou dar um título para não estragar o efeito surpresa

Sabem o que me apetecia hoje? Falar sobre praxe. Pressinto que nesta altura já perdi dois dos três leitores que habitualmente me acompanham. Na verdade, só não perdi o terceiro porque sou eu. Esteja descansado caro leitor, estava a brincar quando disse que ia falar de praxes. É um tema que nos está a encher a todos; quer estejamos contra ou a favor; uma coisa parece-me certa: Estamos fartos do tema praxes. Por isso mesmo decidi falar sobre...

Aquelas pessoas portuguesas que nunca viram futebol americano na vida e na passada madrugada de Domingo para Segunda-Feira lembraram-se que se calhar era "cool" assistir ao Super Bowl!

Vamos fazer um texto por pontos como eu gosto:
Ponto 1) Pessoas, não é pelo Super Bowl ser o programa mais visto do mundo que vocês vão tornar-se imensamente  interessantes.

Ponto 2) Estar acordado madrugada dentro para ver não sei quantos indivíduos de capacete na cabeça à porrada por causa de um melão até pode ser giro para os americanos que têm gostos esquisitos...para a malta de cá, hum...nem por isso!

Ponto 3) De forma absolutamente inexplicável as redes sociais encheram-se de comentadores de futebol americano. Durante o ano todo não vi uma única referência ao futebol americano no meu mural, na manhã seguinte ao Super Bowl 3 em cada 4 comentários eram referentes ao evento.

Ponto 4) Como se não bastasse estarem em frente à televisão a "ver" um jogo do qual não pescavam patavina ainda tiveram de levar com o Bruno Mars no intervalo. Esta conjugação de factores é muito má! Pessoas acordadas de madrugada para verem futebol americano e o Bruno Mars a actuar no intervalo...é melhor não me alongar em comentários.

Ponto 5) "Oh André mas é uma experiência nova de enriquecimento cultural e desportivo blablabla". Vamos cá ver uma coisa, ninguém me venha com essas fantasias! Ver um jogo de futebol americano é mais ou menos a mesma coisa que ouvir o Gungunhana a discursar em Suaíli sobre o conflito tribal no sudeste africano.

E pronto, a singela mensagem da semana está dada!


Sem comentários: