Pages

sábado, 7 de setembro de 2013

Coisas que se calhar não são "do tempo da outra senhora"

À esquerda, o cartaz de propaganda do Estado Novo com o título "Portugal não é um país pequeno". À direita uma imagem que circula por todo o facebook tentando provar que Portugal afinal é um país grande!


O cartaz da esquerda, datado dos anos 30 do século passado, tinha como objectivo principal engrandecer o país, mostrando que, afinal de contas, o território português era quase tão grande quanto o europeu. Ao contrário do que alguns apregoam, não creio que fosse uma tentativa de "justificar" o domínio colonial, já que o mesmo só é colocado em causa de uma forma mais veemente após a II Guerra Mundial. Possivelmente, Henrique Galvão, autor do cartaz, esqueceu-se de comparar as colónias portuguesas com as francesas e inglesas, não só em termos territoriais mas também em termos das riquezas e capacidade de extracção das mesmas. São coisas que se pensam quando se fazem cartazes de propaganda mas, naturalmente, não dão muito jeito referir. Parece-me óbvio que o cartaz tem um objectivo bastante central: iludir o povo (ignorante).

Espanta-me que hoje, ainda continuem a cultivar a grandeza de um país pela quantidade de território que o mesmo possui (marítimo, terrestre ou os dois juntos) e não pela capacidade que este tem de criar condições para desenvolver, por exemplo, a economia. Cá para nós, não me importava que o nosso país tivesse o tamanho do Luxemburgo e a riqueza da Noruega. Estranho, é o facto da imagem da direita ter sido um autêntico sucesso e se ter espalhado pelas redes sociais a uma velocidade de cruzeiro. Mais uma vez, ainda que sem esse objectivo claro, iludiu o povo (ignorante). 

2 comentários:

Eduardo Cardozo disse...

Não podia deixar de passar por cá sem vos felicitar pela continuação do projecto. Vejo que ficou em boas mãos. Tenho gostado muito dos textos, continuarei a acompanhar.

Rocha, André disse...

Obrigado Eduardo. Aparece, abraço.